Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó Srª Engenheira!

Engenheira civil com uma grande afinidade com a sustentabilidade. Nesta minha casa virtual quero partilhar convosco o mundo da construção de uma forma acessível e agradável, a pensar no conforto de todos e no ambiente.

Ó Srª Engenheira!

Engenheira civil com uma grande afinidade com a sustentabilidade. Nesta minha casa virtual quero partilhar convosco o mundo da construção de uma forma acessível e agradável, a pensar no conforto de todos e no ambiente.

Cor Pantone 2019 | Tendências

pantone 2019.jpg

 

Esta é a cor pantone de 2019: Living Coral.  Uma tendência calmante neste mundo frenético de competição, de correria, de vida digital, dos media, das redes sociais e a constante procura do equilibrio, da alegria, da diversão e do otimismo e da necessidade de vivenciar experiências autênticas e imersivas que permitem a conexão connosco mesmo e com o mundo, para além das tecnologias. Para o mundo que vale a pena viver.

 

E em nossas casas, nesse sítio que nos acolhe todos os dias e no qual devemo-nos sentir bem confortáveis, podemos introduzir esta cor num elemento decorativo, numa pintura de parede, de tecto, na mobília, de forma fácil e pouco dispendiosa.

 

Vejam algumas ideias nas imagens que se seguem e digam-me a vossa opinião.

 

porta.jpg

retro.jpg

cozinha.jpg

sala.jpg

quarto casal.jpg

quarto bebe.jpg

escritório.jpg

(imagens daqui)

 

 

 

 

Taipa | Construção Sustentável

 A caminho do trabalho, ouvia a Rádio como sempre e onde estavam a falar de bosta (desculpem o termo mas foi mesmo esse o termo que usaram). A história era sobre algo que envolvia a utilização de bosta como isolamento térmico mas não apanhei do início e só apanhei um testemunho a falar sobre a utilização de excrementos para revestir os fornos a lenha para manter o calor.

 

Fez-me lembrar que é um tema bastante atual na construção, o regresso às técnicas antigas, cujos materiais são locais e/ou reutilizáveis e que conferem propriedades que fomentam a eficiência da construção e sem o recurso de produtos transformados que implicam um ciclo pouco ou nada sustentável.

As casas de taipa ou construções em terra são um bom exemplo disso. A construção em terra em Portugal é uma tradição secular nas aldeias e vilas alentejanas que utilizavam a terra não são por ser um material facilmente disponível como também porque conferia um sistema isolante às altas temperaturas durante o verão. Este tipo de construção também se encontra noutros países como no norte de África e Índia.

 

O isolamento acústico e térmico e tempo de vida mais longo do que o betão são outras propriedades vantajosas neste sistema construtivo. Para além disso, o facto de serem elaboradas com material natural, um dia mais tarde, quando for necessária a sua demolição, o produto volta à terra, sem necessidade de entrega de resíduos em vazadouros.

Trata-se de uma construção sustentável, pois utiliza produtos locais, naturais, não há necessidade de transportes para a sua entrega, portanto não há emissões de CO2. De uma forma simples, obtém-se conforto sem recurso à construção convencional elaborada com betão, betão armado, alvenaria de tijolo.

 

Claro que existe um certo preconceito:“Morar numa casa feita de terra? Isso é tão ancestral.” Mas é muito importante desmitificar pois na Era da Sustentabilidade, Minimalismo e Gestão de Recursos é uma das melhores hipóteses para um pensamento fora da caixa e melhor qualidade de vida.

 

Acreditem, elas existem!

 

terra2.png

terra1.png

Casas-em-Taipa.jpg

(construções daqui)

Pág. 1/2